Cartas

Declaração modesta

Comigo cê não será sempre feliz, talvez até passe fome.

O calor é certo, a cama é pequena e as cobertas estão grossas após constantes lavagens com sabão de má qualidade.

Não te prometo amor eterno, juro, hei de morrer, com fé em meu Santo Expedito.

Trarei tuas roupas mal dobradas do varal, parcialmente limpas. O chão, cuido quando der. As paredes, pintadas à prazo serão.

Nossos gatos, todos de rua. Cada um com sua doença, que é pra num virar almoço do vizinho dentuço.

Carro, não tem. Há uma bicicleta enferrujada e o que sobra de graxa no meu macacão.

Aprendo a cozinhar por teu apreço, farei o pior macarrão que comerá, mas as louças com afinco lavarei.

Vou cantar o que estiver em minha cabeça e rimar amor e dor, amor e isopor, amor e calor. Vou rimar as rimas mais óbvias e repetir palavras que é pra saber que falo sério.

Sei que assim falando pareço não ser a melhor das opções e na real nem sou, mas eu valho por metade do último cara que te tocou e isso basta, não basta?

Vou andar todo asseadinho que é pra todo mundo saber que tenho um amor. Se te perguntarem, até deixo negar. Sou por demais modesto e acredito que pegue mal pra você deitar-se comigo.

Se quiser, desviarei o olhar ao te encontrar na rua. Baixarei a cabeça enquanto a marmita do dia se embrulha em meu estômago.

Por ti eu faço de tudo, entrego um rim por uma aliança e uma costela se outra de ti puder conseguir.

Beijarei teus pés sujos da lama da rua de casa ou me atirarei ao chão para que pise no meu bucho em vez da terra batida, te darei essa escolha.

Vou chorar só um pouco que é pra não te incomodar com meu vazio. Por sinal, vou abdicar das palavras que é para apenas te ouvir falar mal do trabalho.

Pagarei teus sapatos em longas prestações que é para não faltar na carne. Quer dizer, eu faço muito gosto que faça teu próprio sustento, mas não negarei um presente que a moça da loja disse que você gostaria. Nela acredito. Mentir pra quê se é pobre como eu e ama como nós?

Renato Martins

"Cronista de espaços públicos, eu observo e fotografo com pixels ou com letras".