Quinta do Autor

A audácia de um recomeço

Não consegui evitar. E não sei se sabe, mas vou dizer muito agora. Nossa convivência, E nossos momentos foram bons.

E por mais que a minha cabeça diga que já foi, e tentar mil vezes mais vezes fazer com que o meu corpo aceite esta decisão, o meu coração ainda diz que não.

Nada se foi.

E essa luta inconstante aqui dentro me deixa confuso de um jeito até engraçado de explicar.

Era algo novo, e sabemos bem disso. Mas, isso não justifica tudo o que aconteceu. Só que agora vejo que tá tudo bem, porque aprendi muito com tudo, e com você principalmente. Foi intenso, e talvez, o meu jeito de ter convivido com isso não foi o certo.

E é por causa dessa intensidade que, se me recordo bem, deixei que me invadisse. Não tive forças. Até agora.

Só não conseguia evitar as invasões do que vivemos um do lado do outro. Tu me invadiu de tal forma que não pude conter a voz que em mim gritava: saudade!


Eu sinto saudade. E quer saber? Quando digo isso, sinto mais ainda. E é meio embaraçoso, só que essa é a certeza. Foi forte o que houve entre nós dois. Forte de verdade. Talvez você esteja sorrindo de canto, e enquanto lê pensando em muita coisa e balançando a cabeça discordando.

E eu tento compreender o porquê que só quando o relacionamento, ou seja, a história acaba que nós começamos a sentir cada parágrafo, e as páginas de tudo. E eu não vou entender agora.

Em algum momento nos perdemos. Só que você é quem me traz uma ótima sensação, e tem uma energia incrível. E não irei culpar o destino, pois foi somente nossa culpa.

Mas admito, que se tivesse uma nova chance, diria para você, vamos começarmos de novo. Vamos tentar de novo, sem muito “mimimi”, sem muita pressa, ou algum tipo de urgência contra o tempo.

Recomeçar. Tudo do zero, sem olhar para as coisas passadas. O que acha? Vamos tomar um café, quem sabe.? Só peço que pense quando ler, e não precisa responder tão depressa. Eu vou esperar!

Emanoel Filipe

Escrevo eu mesmo. Escrevo o que penso, e sinto. Exponho em um simples papel, todos os meus sentimentos e confusões!