Certamente não sou a única pessoa tentando encontrar uma explicação. Certamente a confusão que ainda ronda em meus pensamentos não é exclusividade minha. Certamente essa dor aqui no meu lado esquerdo é sinal de que algo que ainda lateja e não me tem deixado sorrir como antes. E, com toda certeza, você também está aí se questionando: como tentar seguir em frente?
Sabe por quê? Porque construímos uma história juntos, porque tivemos momentos de cumplicidade, de desejos, de entrega.Fizemos planos onde um estava no futuro do outro. E agora tudo são lembranças…
E se eu estou aqui lembrando em como meu dia se alegrava apenas com seu sorriso, em como você conseguia me confortar apenas com um olhar, é porque o coração se abriu para você.
E o nosso “mas não deu certo” você sabe bem. Quando o sentimento começou a aprisionar. Quando você insistia em me ter como propriedade. Quando você esqueceu do seu brilho próprio. Quando você não entendeu que confiança e liberdade são sinônimos de amar.
Minha consciência me tranquiliza em saber que tentei, por inúmeras vezes, te mostrar que eu estava ali por você, com você.O amor por amor não foi o bastante.
Agora, estou aqui abrindo a janela novamente. Preciso deixar o sol entrar e aquecer. Preciso continuar a viver. Estou a sorrir novamente, levemente. Libertando-me! E para você “desejo que você tenha a quem amar, e quando estiver bem cansado, ainda exista amor pra recomeçar”.

Por Wanessa Rocha, um ser vivente e sentimental, inspirada pelas confissões de um amigo.

IMG_20160704_090202

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articleAmor além da vida
Next articleDe: Rapha Para: Você
Wanessa Rocha
Apaixonada por poesia, cores, sabores, lugares, sorrisos, livros, fotografia, músicas, família, amigos, natureza... Uma pequena andarilha errante de alma transparente e eterna aprendiz com a vida!