Tem gente por aí que com a mente tão pequena, mas tão fechada mesmo, que chega ao ponto de olhar com indiferença para o outro só por causa de uma cor de pele.

Sabe, tenho dó desse tipo de pessoa que julga o próximo por algo tão sem sentido. São pessoas que realmente se prendem a coisas tão mesquinhas, dominadas por preconceitos e rótulos desumanos.

Será que estas pessoas não entendem que o sangue é da mesma cor, seja lá qual for sua raça, origem, etnia?

E como esse triste e lamentável desamor está impregnado em nossa sociedade, há séculos, resistindo em corações amargos, que muitas vezes se camuflam em coisas tão minúsculas, tentado justificar algo injustificável.

O valor de uma pessoa se mede pela cor de sua pele?

JAMAIS!

Meus caros e minhas caras, confesso que sou apaixonada por pessoas, por suas histórias, seus sonhos. E aqui nessa existência terrena, devemos ter respeito e amor com o próximo.

Menos julgamento, mais amor!

Será isso tão utópico? Ter uma sociedade sem paradigmas de intolerância racial?

Eu acredito e faço minha parte!

E você?

Já dizia Zeca Baleiro: ” – Percebam que a alma não tem cor. Ela é colorida, sim! Ela é multicolor!”

Wanessa Rocha

Written by

Wanessa Rocha

Apaixonada por poesia, cores, sabores, lugares, sorrisos, livros, fotografia, músicas, família, amigos, natureza... Uma pequena andarilha errante de alma transparente e eterna aprendiz com a vida!