Crônicas

AmarElo

Queria me sentar do seu ladinho e pedir para que respire, e te olhar nos olhos e dizer que a sua dor não te define, e que as suas cicatrizes não são você. E fazer com que as suas marcas só te façam lembrar de agora em diante o quanto você precisa conviver com pessoas. Pois, embora distorçam essa realidade, somos seres coletivos e necessitamos disso, de toque, abraço, riso, convivência, e portanto, isso envolve também o confronto e o conflito.

Acho que hoje tenho essa compreensão e trago a reflexão pulsante de o quanto a gente precisa de gente perto, que pause todas as nossas defesas, e que nos desarme. Gente que não nos ponha apenas para cima em dias de fossa e tempestivos, mas que com jeitinho nos coloque na rota e no caminho de novo.

Eu só quero te dizer que você não está e nem deve ter a concepção de estar sozinho. Afinal, depois que a gente tem uma linda concepção disso, a vida vai ficando mais leve e mais fácil de ser vivida. Pois, temos uns aos outros. Temos umas as outras. Temos uma infinidade de vida ao nosso redor, e é só a gente cutucar que alguma coisa vai sair dali de dentro para nos socorrer.

Grite socorro. Grite por afeto. Grite por amor. Peça para ir para casa da sua amiga, ou amigo, e ficar lá até tudo ficar bem. Se conseguir, vá aos pouquinhos pedindo ajuda, vai falando para aqueles que pode confiar, busque rodas de conversas, procure um grupo e até mesmo uma igreja que estejam dispostos a te aceitar e ser sua rede de apoio. Faça um muro forte ao seu redor, que saiba ser empático com tudo o que você se tornou. E isso é possível se a gente caminhar juntinho.

Mas enquanto houver amor, eu mudarei o curso da vida

A gente precisa reaprender a viver sem concepções de uma vida com um final feliz nos esperando. E se eu pudesse te convidar à algo hoje seria à isso. Um convite também para a desconexão com o mundo imaginário que nos deram de presente, e uma recondução ao mundo no qual somos apenas humanos. Um pedido para reconectar com o que te faz bem e desplugar de tudo que você achou que precisava ser para SER.

Hoje te chamo como amiga para entender que a vida é feito de picos de felicidades e quedas em buracos escuros que nos permitem voltar para a realidade. Então, o cair chore, se realinhe, desabe e desabafe. Não seja forte o tempo todo. Seja fraco e até chorão, ou chorona também. Eu prometo te olhar e te amar assim. OK!? E ei… eu te amo e só de imaginar sua existência já me faz tão bem.

A vida tem essa belezura de stop, de pare, e de inúmeras chances de recomeçar… e vem cá comigo fazer isso? Este texto é para você abraçar a sua saúde mental bem aqui comigo. Estamos todos juntos errando e tentando acertar. E tudo que nós tem é nóix.

Recomendações camaradas:

O amor perdoa o imperdoável
Resgata a dignidade do ser
É espiritual
Tão carnal quanto angelical
Não tá no dogma ou preso numa religião
É tão antigo quanto a eternidade
Amor é espiritualidade
Latente, potente, preto, poesia
Um ombro na noite quieta
Um colo pra começar o dia
Filho, abrace sua mãe
Pai, perdoe seu filho
Paz é reparação, fruto de paz
Paz não se constrói com tiro
Mas eu miro, de frente, a minha fragilidade
Eu não tenho a bolha da proteção
Queria eu guardar tudo que amo
No castelo da minha imaginação
Mas eu vejo a vida passar num instante
Será tempo o bastante que tenho pra viver?
Eu não sei, eu não posso saber
Mas enquanto houver amor, eu mudarei o curso da vida
Farei um altar pra comunhão
Nele eu serei um com o mundo até ver o Ubuntu da emancipação
Porque eu descobri o segredo que me faz humano
Já não está mais perdido o elo
O amor é o segredo de tudo
E eu pinto tudo em amarelo.

Natália Rezende

Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.