Coloque toda essa inquietude morando dentro de você para fora. Expresse em palavras, rasgue em gritos e faça desaparecer em lágrimas de purificação.

Apague todas as luzes, apague todas as vozes dentro de sua cabeça e fique apenas com a voz de seu coração. Deite-se ao lado de quem você ama. Alguém que nunca irá lhe desamparar, seu próprio eu.

E ame-se para poder amar alguém.

E reconstrua-se para poder somar a vida de outrem.

Desamarre as amarras que te prendem no mesmo lugar. Abra seu coração e deixe toda mágoa sair e evaporar. Vomite toda tristeza e feche seus olhos, se preciso, para não ter medo de segurar em seus sonhos com todas as forças.

E peça força ao universo para que possa continuar.

E junte fôlego para gritar aos quatro ventos que você, e mais ninguém, é o detentor de cada pormenor da singularidade de sua trajetória.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articleMÃE, MEU AMOR MAIOR
Next articleA empatia dói?
Ygor Phelipe
Um sonhador, um homem de mil faces, de milhares de heterônimos e com uma missão: dar vida aos sonhos por intermédio das palavras. Poeta, romancista e apaixonado por livros, histórias e pelas viagens que elas proporcionam.