São gritos de raiva, são gritos de medo, são gritos de ofensa. A guerra é fato, mesmo que disfarçada. Andar na rua é assustador, o soco, o pontapé, mesmo a facada pode vir a qualquer segundo. Viver e andar viva se tornou um ato revolucionário.

Ela é colorida, assim como o são seus amigos, seus amores. Ela simplesmente existe. Não busca o mal, nem a ofensa, nem quer fazer afronta. Ela só quer existir.

Você é sapatão? – perguntou o moço de barba cerrada. Ela tremeu, gelou por dentro e respondeu em um suspiro “não”. Seu corpo doeu inteiro. Foram tantos anos, lágrimas, batalhas e desamores para ser ela… Foram tantas perdas no caminho… E agora, ali, diante daquele homem imenso, com barba cerrada, olhando em seus olhos, ela negara quem era.

Ele olhava desconfiado, ela com sua alma dilacerada um medo irracional, rezava para que ele só fosse embora. Um dia se perdoaria por se negar.

Tem certeza que não é sapatão? – insistiu ele.

E se ela for? – disse uma voz distante – o que te interessa? Vai pagar algum boleto dela?

A voz chegou a seu lado e segurou sua mão. Ela não sabia quem era aquela moça, mas seu coração se aqueceu! Não teve coragem de dizer nada, apenas apertou a mão que lhe dava segurança.

Meta-se com sua vida – gritou outra voz.

Você ta interessado? vai procurar quem também esteja. – Disse mais alguém.

De repente eram vozes, mãos dadas e muitas pessoas em volta dela, que, segura, chorava convulsivamente. O homem barbado foi embora e aquelas pessoas, 10, 12 mulheres, todas abraçadas e dizendo um único coro “juntas somos mais fortes”, mostraram que o perigo é eminente, mas ela não estaria sozinha.

Havia a guerra, mas havia o amor nos tempos dessa guerra!

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articleCarta aos adeptos das sofrências
Next articleRenascer
Mariah Alcântara
Mariah, escritora, sonhadora e apaixonada pela vida. Escrevo desde os 15 anos, comecei com devoção por poesia e depois crônicas e contos (minha paixão). Faço parte de alguns projetos literários importantes, entre eles a Roda de escritores (que hoje tem outro perfil de trabalho) e Escritores da Era do Compartilhamento. Acredito que o sucesso vem com trabalho, e trabalho com amor gera sucesso.