Crônicas

As pessoas que passam

Sabe aquelas pessoas anônimas que passam, quase que diariamente, em nossas vidas?

Tenho um tantão de gente no meu dia-a-dia que mal sei o nome. Mas, se eles soubessem o quanto tenho gratidão por pequenos gestos que me presenteiam: pelo sorriso, pelo bom dia ou boa noite, pelo simples aceno de cabeça, pelas poucas palavras trocadas, por compartilharem um pouco de suas histórias…

São pessoas que passam, que cruzam em meus caminhos e horários, quase que todos os dias.

Aquele porteiro que me deseja quase sempre o meu primeiro ‘bom dia’, aquela moça que limpa a sala onde trabalho e tem um sorriso gigante, a guria da lanchonete e sua gargalhada contagiante, a zeladora que parece conhecer até meu humor, o segurança sempre tão educado, aquele catador tão alegre que sempre esbarro na rua onde moro, a senhora que varre a calçada de sua casa e me lembra minha avó com tamanho amor em seus olhos, a galera do ponto de ônibus, a turma do restaurante, a cozinheira que já sabe como prefiro meu bife, os caras da gráfica que sempre agilizam o serviço, o pessoal da academia…

São inúmeras pessoas que, sinceramente, vejo mais que muitos familiares e amigos, e que mal sei o nome, suas histórias, seus medos, seus sonhos…

Alguns são mais reservados, outros nem tanto, e vez ou outra, tiramos um dedo de prosa.

Rostos já tão presentes em minha vida, minha gratidão às pessoas que passam!

Wanessa Rocha

Apaixonada por poesia, cores, sabores, lugares, sorrisos, livros, fotografia, músicas, família, amigos, natureza... Uma pequena andarilha errante de alma transparente e eterna aprendiz com a vida!

4 Comentários

Deixe uma resposta