Ei, pequenininha? Tenha medo não, vice? A vida é assustadora, complicada, irritante e enfadonha às vezes. É o jeito dela de ser poética. Por isso leia ao som de…

Mas se quer saber, a vida é para dividir… Pode se envolver como queira. Já que se jogar em paixões rasas nunca foi pecado mortal. Erro brutal? Não sei. Só sei que tenho mania de olhar para o que há de bonito no caos. Tenta também!

E se quer saber, acredito tanto nessa máxima que vivo colorindo histórias que já me fizeram por aí. Dou de ombros para os erros. Acho que os acertos merecem lupas gigantescas sobre eles.

Dobro páginas inteiras sobre um enredo que me marca e isso é só porque eu tenho medo de perder a memória. E você não tem? Tá vendo como a gente precisa dar uma voltinha em si mesma para saber quem é que manda? É complicado e beira a loucura, mas nunca deixa de ser bonito.

É contraditório e muitos não vão entender, mas se convence de uma vez por todas que descobrir o verdadeiro sentido das coisas é querer saber demais, cantarola O Teatro Mágico no meu peito.

Sinta a vida. Viva e a sinta. Não tem nada demais nisso, o resto é puro clichê e bagunça para administrar no peito.