Overdose Poética

Caminho da Depressão

 

Ando por um caminho cheio de espinhos com um sorriso forçado no rosto, demonstro estar pisando em flores, mas só eu sei das dores, as dores deste caminho.

Cato o vento, olho com desalento para essa estrada sem fim. Quem me dera ter o poder de abreviar meus dias, até tenho mas, o que seria de mim?

Além de sofrer aqui, na eternidade pagaria caro por ter me tirado de mim. Então sigo por este caminho, cheio de espinhos.

Em tristeza profunda minha alma se afunda, e sigo por este caminho de espinhos.

Kalebe Luz

Escrevo não por obrigação, mas sim por amor. Através da escrita mostro como me identifico com o mundo.

Deixe uma resposta