Eu me perdi tantas vezes que, em certos momentos, achei que nunca iria me encontrar.

Tenho me lançado na imensidão das mudanças nas mais diferentes formas. Porém, foi assim que aprendi a ser feliz com o movimento, pois a pulsão de morte como dizia Freud não nos impulsiona a mudanças, pelo contrário, nos mantém reféns da inércia. Portanto, aceite meu conselho: não fique estagnado, parado onde está, corra já para a vida.

Encontrei tantos simples motivos para sorrir que passei a valorizar o momento e perceber o que realmente é essencial.

Eu me curvei tantas vezes, e foi exatamente isso que me fez mais forte e flexível.

Eu me iludi, desiludi, aprendi, sobrevivi e hoje vivo e continuo aprendendo.

Pois, os maiores aprendizados da vida surgem nos momentos em que com a vida a prova você precisa se reconstruir para se construir.

E assim, lá vou eu nessa reconstrução infinita, cheia de idas e vindas, repleta de encontros e desencontros, nesse carrossel inebriante, denominado vida.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articleEu te desejo sorte.
Next articleApenas um curto tempo
Ygor Phelipe
Um sonhador, um homem de mil faces, de milhares de heterônimos e com uma missão: dar vida aos sonhos por intermédio das palavras. Poeta, romancista e apaixonado por livros, histórias e pelas viagens que elas proporcionam.

3 COMMENTS

  1. “O carrossel nunca para de girar” rsrsrs. Exatamente isso, grande poeta, a vida é uma constante evolução, e tudo – quando digo tudo, me refiro principalmente as quedas bruscas, as porradas repentinas – contribui para nosso aperfeiçoamento… muitas vezes não compreendemos no momento, mas certamente um dia compreenderemos.