Crônicas

Eternidades dentro do coração do outro

Bonito mesmo é quando construímos eternidades dentro do coração do outro.

Aquela eternidade de um momento que não precisa durar além dos séculos. Mas aquela partícula de tempo que se faz presente na memória dos que foram tocados pelo melhor que há em nosso ser.

São exatamente esses pequenos atos em que alcançamos grandezas inexplicáveis e que nos façam seres fascinantes, tais como nossos sorrisos escancarados, nossos braços abertos para doar abraços singelos e o nosso ajudar por mero prazer, sem o desejo da moeda de troca, que o tempo é incapaz de apagar da linha da existência.

Natália Rezende

Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.

Deixe uma resposta