Overdose Poética

Feiura

Exprimido nos corredores da vida

Pressionado pela a fraqueza da minha beleza

Vendo o que não lhe agradam

Pois o externo não chamam atenção.

Eles procuram a beleza incondicional

Perfeita e surreal.

 Oh!! Mundo banal

Sofro nesses trilhos da vida.

Alienado pela a beleza.

Saio à procura da perfeição

Satisfazendo-me nessa rotina

De que tudo que é belo é bom.

Mal sabem eles que isso tudo passa de vaidade

Se satisfazendo em frente aos espelhos

Matando dentro de si, o amor próprio.

E formando por fora o seus velórios.

Higor Cândido

Escrevo poemas porque a força de vontade é o alicerce para o sucesso Confiantes nessas palavras nunca deixei de escrever.