Saudade de casa.
Saudade de Minas.
Saudade da manhã mineira.
Saudade do colo do meu pai.
Saudade das broncas do meu pai.
Saudade do meu pai.
Saudade do barrigão do meu avô.
Saudade da vitamina do meu avô.
Saudade da salada de fruta do meu avô.
Saudade do meu avô.
Saudade da comodidade da casa da minha avó.
Saudade da comida mineira da minha avó.
Saudade da minha avó.
Saudade do terraço onde se reuniam todos os primos.
Saudade dos primos.
Saudade do bolo de chocolate que mamãe fazia, que marcou a infância.
Saudade da minha mãe.
Saudade do que eu era, e já não sou mais.
Saudade da inocência que ficou lá atrás.
Saudade de ideais que não passam de trapos.

 Saudade das virtudes.
Saudade de apanhar de almofadas.
Saudade da força que me regia.
         Saudade de mim.
Saudade dos sonhos.
Saudade dos amigos que me deixam sempre aqui.
Saudade dos distantes e ausentes.
Saudade de não saber tanto como hoje eu sei.
Saudade de saber pra onde eu estava indo.
Saudade da busca por perfeição.
Saudade do meu comodismo.
Saudade de ser dependente de pai e mãe e não de depender de mim mesma para sorrir.
Saudade de sorrir com meu velho avô das mulatas peladas no carnaval.
Saudade de ver meu pai arranhando o inglês numa canção.
Saudade de Deus mais perto.
Saudade de suspiros.
Saudade de roupa limpa.
Saudade de alma limpa.
Saudade de choro sincero.
Saudade dele.
Saudade do amor dele.
Saudade do jeito dele.
O amor leve, lavado de água de cheiro, love…
Saudade esse devia ser meu nome.
Ou meu sobrenome.
Ou apenas meu estado de relacionamento.
Um caso super sério com infinitas saudades.
E o que fazer com tanta saudade?
Poemas…

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articleÁguas
Next articleEu sou assim: poesia
Natália Rezende
Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.

1 COMMENT