Essa tal de maturidade bate na porta da vida é devagar.

Eu já vi muita coisa nessa vida e todo dia venho aqui mostrar um pouco do novo que eu já sei.

Eu tenho tanto medo de me perder e quando vejo já não sou mais nada daquilo que achei que fui. E aí penso, que a vida tem mesmo dessas coisas.

Sou boba, apaixonada, até dizem que apaixonante também. Uso sapatinho vermelho com lacinho e tenho covinhas na bochecha, e fico vermelhinha quando me prestam elogios.

Tenho um coração enorme, mas uso roupa curta. Uso batom vermelho. Tenho cabelo curto e já mudei a cor natural deles. Mudei algumas coisas do lugar em mim, mas isso só eu preciso mesmo saber.

Faz frio aqui dentro sempre pois eu esqueci de instalar o aquecedor movido a paixão nesse novo ”eu”.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Compartilhar
Artigo anteriorSonhos tomados.
Próximo artigoMÃE, MEU AMOR MAIOR
Natália Rezende
Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.

Deixe uma resposta