Leia ao som de…

A preferência daquela mulher inclina-se para alguém que empreste aos seus ombros uma liberdade sem precedentes. E que a presenteie com motivos diários para residir em um enredo de vida simples e aconchegante. Como tambémque seja capaz de causar-lhe sorrisos repletos de timidez. Mas que nunca se contenha, e que feito salto n’água mergulhe nas curvas das covinhas de suas bochechas.

Cá entre nós, ela assobiou e determinou em oração singela, que vai ficar apenas quando a luz de outro ser humano ser tamanha, ao ponto de derrotar toda a escuridão. Bem como, se permitir na coragem de mãos firmes que envolvam a sua cintura. E vai nomear o dono dos abraços, que sob o seu peito, insista em esconder a imensidão de cansaço das suas olheiras.

Ela vai eleger alguém que a cale com outras verdades necessárias, já que a menina aprendeu a escutar. E que ouvir é um melindre além do que apenas o colar de orelhas nas dores alheias. Pois talvez, seja o filtrar mais dos outros para si. E por mais que ela teime em ir além, ela também queima feito Fênix, antes de renascer em mudanças.

Ela vai escolher alguém que a escute. Que entenda suas sonoras felizes, dramáticas e até as agudas. Ela quer um indivíduo que elogie os seus textos, projetos e planos. Mas que acima disso tenha quedas pelo companheirismo dos bares, e do aconchego de ter uma dama com quem possa dividir as contas.

Não se engane! Ela não é difícil. Ela vai permanecer quando tudo que o outro queira for reconstruir o que foi quebrado e mantê-la segura. Ela fica sim. Mas só quando valer a pena, já que sem demora, só deseja descansar disso de conhecer pessoas. Ela tá bem! Cuidando de si.

Agradeço a todas os participantes que colaboraram para a galeria das covinhas mais bonitas do Giz da Alma. Confira a galeria. ❤