Não nos matem,
Não nos deixem morrer….
O que vos levam ter nossos filhos sendo criados por mulheres, por tirar a vida de outras mulheres?
Onde estão as mulheres que não enxergam a má índole de filhos homens, ainda pequenos, mostrando sua inclinação a violência? Passando a mão em suas cabecinhas…?
E estando já feitos…?
O que leva o homem a arrancar a vida de sua companheira, sua mulher, sua amiga, muitas vezes mãe de seus filhos e até provedora do seu lar?
Onde buscam justificar tamanha violência?
Na criação? Na sua posse? No seu machismo?
Se veste de crueldade…

Por que foi enganado? Traído?

Quantas vezes alguns deles traem, mentem, enganam? E por isso batem e matam?
Não nos matem,
Não nos deixem morrer…
Onde esse homem acha o direito de dispor da vida de outra pessoa que não seja a sua própria vida?
No ditado de que em briga de marido e mulher não se põe a colher?
Pra que câmeras de segurança, se a única coisa que segura, é a imagem chocante de violência de um feminicídio previsto?
Não nos matem,
Não nos deixem morrer…
Numa cultura onde o tamanho da bunda e dos peitos siliconados valem mais que seu coração, que seus sentimentos, me pergunto onde foi parar as mulheres de verdade que queimaram seus sutiãs em praça pública, lutando por igualdade, liberdade.
Pleitearam liberdade para isso? Para a omissão?
Não nos matem,
Não nos deixem morrer…
Coloque a colher sim! É seu direto sim, é meu direito sim!  É direito do homem de bem, do homem de verdade também! Porque não existe isso de que todos os homens são iguais! Não são! Somos seres humanos!
Então….Escutem os gritos,
Os gemidos, os abusos.
A violência física e emocional!

Somos todas suas filhas, mães, irmãs…
Não nos matem,
Não nos deixem morrer…

Paula Battistella