De tempo em tempo, nasce em mim, uma saudade danada de você. Do nosso tempo. Foi bom, não foi? Nasce essa sensação de nostalgia, das nossas manias esquisitas. E me pergunto como seria se tudo tivesse sido uma escolha de rota de fuga diferente. Se não tivéssemos errado tanto, e se fôssemos quem eu sou agora e quem você, finalmente, se tornou.

 Éramos, e somos tão diferentes. Uma equação apaixonada por uma incógnita solitária. Mas, suponho que era, exatamente, essa máxima, que nos fortalecia em um elo que não se definia de uma forma socialmente padronizada.

 cpVocê foi a personificação de um sonho bom. De um beijo demorado que me trouxe tamanha paz,naqueles dias de guerra. Você também foi o cabo de aço que me mantinha em um eterno cabo de guerra. Uma luta de opostos em se pertencer. Você é a minha mais bela discografia completa, que eu abro e ouço vez ou outra sem sofrer. Você é uma coleção de histórias intocadas, guardadas na minha caixinha de pandora. Você é uma cerquilha na internet, cheia de assunto nosso.

Confesso que gosto muito do novo que vejo em você. Já que, aparências em timelines te definem agora. Mas, tenho bastante medo do que sobrou aqui em mim, em lembranças do seu antigo “eu”. Tenho medo de um dia você voltar e , se por um acaso, o universo conspirasse, para que você protagonizasse mais um capítulo em minha história. E se termos as mesmas dificuldades? Perguntas sem respostas, definem a engrenagem do seu mundo tão bem!

Mas confesso também, que essa pode ser a minha oração mais pura. Desejo em segredo, que você retorne e que fique por aqui em uma eternidade sincera, me enchendo de coisas velhas e de palavras novas. É que você, e a particularidade do seu jeito, se tornaram um molde. E eu nem sei o quanto isso é bom.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here