Crônicas

O Brasil me obriga a ter Twitter

Caro leitor, sou um ser que muito reclama. É por isso.

Acordo e tomo o meu cappuccino diário com uma amiga. Faço minhas orações. O dia está nublado e tudo indica que irá chover. A boa nova é a abundância do frescor anunciado pelos céus. É o alívio para a mais nova capital do país. Mas, apesar disto, a vida ainda se move lá fora. Ou, tenta.

Palmas, a capital do Tocantins, é um eixo dicotômico de constante reflexão sobre a corrupção brasileira. Essa cidade se tivesse um bordão cinematográfico, com certeza seria dos mesmos criadores de “o Brasil me obriga a beber”. Arrisco a dizer que na propaganda televisiva o locutor imponente diria:

_Vem aí… Cadê o ônibus que tava aqui?

Pois bem. Sete e dezessete da manhã. Conte comigo até 11. Respire! Sete e trinta e sete da mesma manhã chuvosa (culposa) palmense. E sim, toda a ação de indignação se deu nesse intervalo de nosso tempo corriqueiro. O efetivo contado de ônibus lotados que passam e não param no ponto é um retrato real e diário de uma cidade que te obriga a ser corrupto.

E hoje, dez passageiros não pagaram passagem. Contei cada um deles. A administração dessa cidade obriga os motoristas a fazerem milagres, e os passageiros a entrarem em um ônibus sem espaço, já que não há veículos suficientes. Cada um deles aderiu a “corrupção” pelo desespero de chegar no horário.

E antes mesmo que a Prefeitura de Palmas justifique a diminuição do efetivo, por algum motivo mirabolante, que floreie a desorganização da mobilidade urbana já exposta e sentida pela população, quero expor dicas de gestão pública.

Pois bem, sempre haverá um acidente em rotatória, e um ônibus quebrado por falta de devida manutenção. Cabe aos responsáveis, pagos pelos cofres públicos, traçarem métodos de precaver as obstruções dos fluxos e proporcionar diagnósticos e soluções para evitar que situações desgastantes sejam constantes.

Lembro que no mês passado uma assessora da administração municipal disse durante uma palestra, que a população precisa ser ensinada sobre o porquê do aumento da passagem. Concordo! A gente precisa urgentemente de ensino, em especial sobre as diretrizes da gestão política e econômica do município. Necessitamos ser ensinados a perder a paciência com gente que acha que o povo é leigo, ou nos considera apenas como massa de manobra.

Por fim, convido a mesma assessora e toda essa gente que diz (e acredita), que o transporte público em Palmas é um dos melhores do Brasil, a abrir mão por um dia do espaço confortável e seguro de seu veículo limpo e com ar condicionado, para chegar ao trabalho.

Oito e dezessete da manhã. Hoje o atraso vai ser questionado. O Brasil me obriga a ter Twitter.

Natália Rezende

Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.