Eu sou do berço de madeira, do suor e da simplicidade.

Sou filho da luz, inimigo da maldade.

Tenho mil facetas, que ainda ei de investigar, posso deixar cada uma delas, esperando em seu devido lugar.

Vim do pó e do suor, e não das taças de cristal ou do ouro cortante.

Amo, por simplesmente amar e renego todo tipo de interesse que outrora mentes, que não hei de julgar, venham a fiar.

Construo, desconstruo, faço tudo o que precisar.

Sou da terra e sou dessa gente, que sabe como lutar.

Vim da roça, vim do campo, mas hoje a cidade é meu lugar.

Peço a Deus que me proteja, da maldade deste lugar.

E se luto, é por acreditar, que ainda verei um dia ao sol raiar, essa gente que tanto sofre o seu lugar encontrar.

Meu destino sou eu quem faço.

Vou pelo mundo a ensinar, que chegamos a está vida para guerrear, para sorrir e para amar sem cessar.

O grito de um ser

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articlePerca tempo, ganhe vida
Next articleSonhos
Ygor Phelipe
Um sonhador, um homem de mil faces, de milhares de heterônimos e com uma missão: dar vida aos sonhos por intermédio das palavras. Poeta, romancista e apaixonado por livros, histórias e pelas viagens que elas proporcionam.