Fui surpreendida no meio de uma tarde qualquer por uma pessoa, até então desconhecida, que me fez o seguinte questionamento: “Quantas e quais são as coisas que cabem dentro de um abraço?”

Levemente sorri. Estava tão acelerada com alguns contratempos naquele dia. Sim, era exatamente o que eu precisava nesse exato momento: um abraço!
Claro que não deixei a pergunta sem resposta:

“Em um abraço cabe o aconchego, o alívio, o amor, a tranquilidade, a proteção, o afago, o carinho, o perdão… Cabe um tantão de coisas, que chega a caber o universo inteiro! O que não cabe é o vazio e a indiferença”

Quem já recebeu um abraço todo cheio de coisas boas, sabe bem o que uma música do Jota Quest quis dizer quando fala que “o melhor lugar do mundo é dentro de um abraço.”

Estranho é ver ao nosso redor muitas pessoas assim tão próximas e distantes ao mesmo tempo. Tanta gente por aí desperdiçando abraços com a solidão. E a solução para esse pequeno grande detalhe está tão claro quanto a luz do dia: mais abraços, mais toque, mais contato!
Sim, abraço faz bem à saúde! Pode ser usado sem moderação, todo dia, toda hora, todo momento.
Ah, como é mágica aquela sensação de que o tempo para, justamente quando se recebe um abraço. E quando o seu dia só melhora quando você abraça justamente “aquela pessoa”? E tem também a grata surpresa e felicidade quando se recebe um abraço inesperado ou de alguém que nem se conhece.
Tem pessoas que são especialistas em abraços. Estas conseguem com um simples gesto entrelaçar as almas, tirar as dores, os medos e a insegurança que estão nos rodeando, trazendo assim calmaria e conforto. 
Poderia ficar aqui só falando sobre como é bom abraçar. Só que resolvi ir justamente dar um abraço em qualquer pessoa, porque, abraço não tem hora para acontecer!

E você, abrace e se deixe ser abraçado!
Meu super mega abraço especialmente para você!
P.s. É indicado Abraços em carne e osso!

Por Wanessa Rocha, um ser vivente e sentimental.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous article7 músicas para relembrar a infância
Next articleA saudade que não queria ter
Wanessa Rocha
Apaixonada por poesia, cores, sabores, lugares, sorrisos, livros, fotografia, músicas, família, amigos, natureza... Uma pequena andarilha errante de alma transparente e eterna aprendiz com a vida!

2 COMMENTS