Como é difícil ser frágil em um mundo onde só esperam sua força.
Esses dias eu me abati. Caí em voo livre em uma tristeza profunda, abatida, derrotada. Estanquei. São os meses de desemprego, são as contas em atraso, são os filhos que são os filhos e fim, é o mundo cobrando algo que eu não posso dar.
E eu chorei. Minha única fuga desses dias doloridos são as lágrimas e o silêncio.
Certa vez, eu chamei uma amiga, e ela largou tudo o que fazia pra me encontrar em um bar e me ouvir chorar por algumas horas. Não sei se ela sabe o tamanho da gratidão que tenho por ela e por aquele dia. Eu nem precisei falar nada. Bastou abraça-la e chorar. Ela sempre diz que fica atenta ao meu chamado, pois sabe que quando chamo é coisa séria.
Isso me fez pensar como, na verdade, poucas pessoas entendem nossos chamados frágeis. Isso acontece, vezes por não mostrarmos nossa fragilidade, vezes porque as pessoas não estão habituadas a olhar as outras com amor e empatia.

E na verdade não tem receita. A vida vai indo em frente com ou sem você acompanha-la. E ela dói. Mas ser frágil ou estar frágil não carrega em si nenhum erro, nada pejorativo. É uma condição natural de ser. Somos completos e dentro da nossa infinitude de ser cabe a fragilidade, cabe o momento em que não queremos ser acalanto, mas queremos receber.
Chega um momento em que um colo amigo é preciso, um abraço silencioso é sustentação e um sorriso em meio as lágrimas é o que move o mundo um pouco mais. Os meus pedidos são mudos. Não sei fazer diferente. Mas eu sei que há quem os ouve, quem me estende um abraço, um lenço, um ombro, uma xícara de café…
Sim, eu também tenho meus momentos assim. E quando for a sua vez não se acanhe, pois  fragilidade também é marca indelével de um grande ser.

 

Mariah Alcântara

Written by

Mariah Alcântara

Mariah, escritora, sonhadora e apaixonada pela vida. Escrevo desde os 15 anos, comecei com devoção por poesia e depois crônicas e contos (minha paixão). Faço parte de alguns projetos literários importantes, entre eles a Roda de escritores (que hoje tem outro perfil de trabalho) e Escritores da Era do Compartilhamento. Acredito que o sucesso vem com trabalho, e trabalho com amor gera sucesso.