Quando o amor acaba, acaba um pedaço do que somos. Tudo muda, tudo se transforma.

Essas mudanças movem um monte do que somos; isso não é bom nem ruim. Apenas faz parte do que somos, ou do que fomos.É preciso entender que amor dói dos dois lados.

Quando precisamos desistir de sonhos e expectativas, quando precisamos deixar pra trás algumas histórias, sempre é dolorido.

Com relação a isso é preciso entender que não há culpas nem culpados, é apenas a vida que segue, que se ajusta, que se transmuta.

Coisa difícil, essa se ser gente… que fala, que sente, que chora, que ama e que desama. A vida vai acontecendo e a gente vai acontecendo com a vida. E quando tudo muda, quando tudo para, eu apenas peço que seja doce!

É preciso amar o fim do amor, é preciso aceitar as mudanças que não podemos controlar, é preciso caminhar em frente, sabendo de si mais que qualquer coisa.

Amor, é preciso ser próprio.

E a vida, que seja doce!

Mariah Alcântara

Written by

Mariah Alcântara

Mariah, escritora, sonhadora e apaixonada pela vida. Escrevo desde os 15 anos, comecei com devoção por poesia e depois crônicas e contos (minha paixão). Faço parte de alguns projetos literários importantes, entre eles a Roda de escritores (que hoje tem outro perfil de trabalho) e Escritores da Era do Compartilhamento. Acredito que o sucesso vem com trabalho, e trabalho com amor gera sucesso.