Quando nos conhecemos, ou melhor, quando nos apresentamos seres curiosos das vivências um do outro, eu falei logo de cara… ” Eu quero que ele fique”.

Porque conhecer de verdade leva tempo, dedicação, respiração e uma dosagem singular de silêncio e barulho. Também precisa da vontade de fazer dar certo. De saber que alguém vai ter que ceder, fazer cócegas para quebrar o clima, entrar debaixo do braço e se fazer dengo para fazer carinho, trocar de assunto em meio ao clima ruim, falar para não dormir brigado, ligar e mandar mensagem, para saber se o outro “ainda tá vivo”. É necessário elogiar o seu parceiro, sorrir das piadas e se surpreender com os detalhes que ficam desapercebidinhos, mas, quando olhados com o coração fazem uma total diferença.

Para se conhecer é preciso também falar o que não for certo. Com cautela. Com gentileza. Aprendi recentemente que só se pode machucar com palavras quando o intuito é podar para que a relação cresça e floresça.  É preciso ter coragem de sair da zona de conforto e como as engrenagens que se comprometem arduamente em um ciclo e com alguns desgastes, entender que elas precisam de manutenção de diálogos e desistência de um egoísmo próprio para girarem novamente em um fluxo satisfatório para ambos.

E te conhecer, embora que pouco, me faz ter orgulho. Um orgulho em saber que o nosso “amor”, um amor entre as aspas da construção, tem 90 % de download concluído da palavra respeito. Uma palavra oriunda do latim “respectus”, que é um sentimento positivo que significa apreço ou consideração. Na sua origem a palavra também significa “olhar outra vez”. Assim, algo que mereça um segundo olhar é digno de respeito. Eu queria poder te pedir para sempre olhar duas, três, inúmeras vezes mais, não só pra mim, mas para as pessoas que o cercam. Pois, reconheço dentro de mim em humildade a paixão que há dentro de mim pela pessoa que tive ao meu lado durante o nosso tempo. Uma pessoa que tocou o meu coração com um companheirismo sem igual, que fez o possível para melhorar os meus dias. Que abriu os meus horizontes e discordou de mim, sem me desrespeitar.

E eu quero mais que você deseje continuar a aproximar os nossos mundos diferentes e procurando entender os contextos existentes. E se não for pedir muito, peço a Deus, e ao universo que conspire para que de alguma forma, você ainda seja um homem apaixonado por nossa história de agora em diante. Uma história que pode não ser de A a Z compartilhada, mas que seja sempre uma daquelas páginas marcadas e que dobramos, que voltamos a ler sempre que sentimos uma certa nostalgia e vontade de voltar no tempo. Meu bem, que coisas boas sempre te cerquem em amor.

 E assim, o que mais te desejo é a mesma alegria dos primeiros dias comigo, menos pitis e ciúmes infundados ou desentendimentos. Mais bebedeiras mesmo a sua mãe não gostando muito, e muito menos tabagismo. Viva mais. Viva melhor. Tem gente que é feliz por sua existência, tipo eu. Desejo a ti mais sexo com tesão fluindo e noites alucinantes de desejo mútuo. Que tu tenha uma vida repleta de transparências, verdades e compreensão. Que continue a desenvolver amizades que queiram dar gargalhadas com você.

 E por fim, apesar da minha última tentativa desesperada de fazer tudo ficar bem, aprendi meu bem, já meu amor, que as pessoas devem ficar em nossas vidas com uma liberdade de que podem querer não estar mais, e é com essa liberdade que quis te presentear todo o tempo que tivemos. E sei que você só ficou porque em mim de certa forma foi o seu abraço, abrigo e esconderijo secreto. Que ficou pelo ideal de construir um lar conforme os meus sonhos. Que ficou feliz. Ficou por ser o seu maior desejo.

Que seja tão difícil nos deixar. E como no início de tudo, assim como eu, sempre peça em secreto: “Tomara que ela fique.”

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here