(ARTE DA FOTO: NA MIRA DA MODA)

Me dá o seu tempo bom para desperdício? Sim, muda os meus planos. Me despe a roupa da minha vida errônea. Me cospe este ciúme camuflado. Fala dos meus livros e textos para os seus amigos. Eu não entendo. Parece que não é nada demais. Mas para você sempre é. É um contentamento que a gente nem tenta explicar, apenas sente. Sente na segurança deste relacionamento manso, puro e amparado pela sua enorme paciência.

Eu que me via nas caixinhas dos meus clichês, dos meus dizeres ensaiados, pois a vida me ensinou a ser solidão, me vi querendo fazer você ficar no meu mundo, que embora pareça festa nos primeiros dias, ele é também movido as tristezas que carrego comigo. Tenho um passado chato que vez ou outra abre feito cicatriz. E eu que de tanto me querer madura, temia que se você soubesse disso tudo que vem a tona sem que eu queira, quisesse ir para longe da minha bagunça rotulada de exatidão. Mas, não. Pelo contrário. Esperou a poeira abaixar, viu algo em mim que nenhum espelho vê. E disse para si, para nós, para os seus pais e as outras possibilidades, que aqui na minha baguncinha é o seu lugar.

Um lugar que aos poucos vai ganhando seu jeito, as suas senhas e brincadeiras. Lugar que parece que foi feito sob medida para eu me apaixonar por você. Não somente pela beleza que há na sua áurea, mas insistentemente pela natureza insistir em te trazer pra mim. Pois, adoro a sua companhia, mesmo que seja só do corpo alguns milhares de fins de semana, em que eu tagarelo a vida feito narrativa, e te vejo imerso nos seus silêncios triviais que mais são a imersão de um cara que ama vídeo games e afins. E a música que a gente toca sem saber o ritmo, parece que rima com a minha loucura ensaiada, com os meus ciúmes e manias que mais são sinais do quanto eu já não quero te perder. Mas quero aprender você, sem te prender comigo.

A gente tá se complicando, se envolvendo e se amando. Criando uma espécie de “grude” que a gente gosta de ter. E quanto mais vou te conhecendo, acabo percebendo o quanto sinto os seus sinais de que eu posso descansar quando a vida insiste em ruir, ou quando a gente insiste em se amar. E meu amor, se a vida é por um tris… Valeu pra quem já viu o seu jeito de tocar no coração.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here