Crônicas

Relax! I have a plan

Relaxa!

Eu tenho um plano.

E não me tenha como mentirosa. Não explico minhas metas de lhe arrancar sorrisos. Nem tudo precisa de alguma explicação. Olha a vida ao seu redor… Descobrir o verdadeiro sentido das coisas é querer saber demais. Não acha?

Não se esconda de mim. Dos outros, pode. Eu deixo. Deixa eu fechar os seus olhos com minhas mãozinhas delicadas e quando abri-los nos tornaremos invisíveis aos outros olhares. E que você insista em só ter olhos para mim.
Vem cá!? Pode se esparramar no meu corpo. Pode repousar sua cabeça no meu seio. Faça de mim uma casa de repouso. Disfarçando os seus grilos e engolindo os seus gritos o seu mundo vai ficando cada vez mais pesado, eu sei.

Me de cá!? Vamos dividir os pesos. Os medos. As contas e os problemas. Vamos multiplicar as alegrias, somar os sonhos e diminuir a solidão. Vamos não sair da nossa zona de conforto, só por hoje.

Preciso desenhar o sabor de um companheirismo que vale mil aborrecimentos.Deixa eu cantar para você. Deixa eu te fazer sorrir. Ninar você. Deixa eu dançar até você se cansar de mim. Deixa eu cozinhar um prato de afeto, bobo.

Deixa eu dizer que te amo, no meio de uma refeição em plena segunda. Não tinha nada de especial. Éramos só eu e você. E seu papo chato que não prestei atenção. Esse era o plano.

Natália Rezende

Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.

Deixe uma resposta