Precisava escrever sobre mim. Sobre as dicotomias de meu universo poético. Leia ao som de…

Tô com excesso de expectativas sobre o futuro e ando desenhando ansiedades. A minha mente anda criando problemas ainda inexistentes, e isso já se tornou normalidade. Confesso que virou uma constate lidar com as consequências da modernidade, e ter que me sentir viva no carrossel da vida é exercício diário.

A vida tem mesmo dessas coisas, megafoneio certa oração de casualidade, porque acredito que falar sobre saúde mental deveria ser nosso dever de casa. Mas, minha carcaça quer parar e descansar de ser forte o tempo todo.

Eu que tanto digo, expresso, julgo, grito ando desnudada de mim, de todas as certezas que me fizeram um dia. Ando um pouco sem ter o que dizer, e meio que me cansei de te dizer sem fim algum limite meu, me dizer novamente digo e explicar as coisas que não domino.

Já não tenho mais forças para dizer que vou conseguir tudo que quero, custe o que custar. Ei, mundo! Não quero construir uma muralha para lembrar o que fomos, ou somos… estamos. Não sei falar o que quero dizer. Andamos bem, mas estamos distantes de algo bom… e é isso.

Alguma coisa morreu em mim e eu não sei mais fazer milagre algum aqui dentro. E porque eu teria que fazer isso sempre? Quem me constituiu senhora do tempo? Não ando conseguindo dar um passo, nem em direção de mim mesma, veja só voar em meio aos temores que eu mesma criei aqui em mim.

Pois bem….

Precisei parar uma semana inteira e ainda não me encontrei, e tá tudo bem porque ser forte o tempo todo cansa sim. Sim, e bem nesta manhã palmense sem expectativa de um renovo, ando desabando a chorar, me permitindo a sentir todo o meu cansaço mental . É que eu estou um pouco perdida, e já não sei o quanto isso é ruim.

E me perdoo, pois tá tudo bem… ao mesmo tempo que não está. É complexo, mas ao mesmo tempo me convenci que pode ser belo.

Natália Rezende

Written by

Natália Rezende

Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.