Crônicas

Segredos de liquidificador

Eu quero ter a beleza de me despir das inverdades que criei ao seu respeito nesta noite. Terei a decência de te jogar na cara a saudade que carrego nos ombros. Quero usar um falar transparente com  você. Posso te contar segredos ou coisas que um dia quis te dizer na cama? Então, lá vai… Eu te amo, quase todos os dias, mas não sempre.

É, eu não sou objetiva. Sou textão do caralho e cheia de vírgulas. Mas eu gostaria que você fosse o último ponto das minhas linhas. Dramática, eu sei. Romântica e exagerada igual ao “Zuza”. Falam que mais, um tantão mais. Que posso fazer? Se não desse errado não seria eu. Aí eu concordo que  eu sou louca e varrida e que sou a rainha do mimimi do amor. Foi mal. Nem era para você. Mas agora é. Só para te fazer reticência, parágrafo depois do erro, só para você permanecer no meu enredo, mas não se julga o tal por isso não. Ou se acha sim, porque eu adoro o seu jeito filha da puta de ser irritante e tão apaixonante ao mesmo tempo. Aí eu paro e balanço a cabeça sem saber exatamente em que letra eu gravo que te amo totalmente, e que pedra te jogo para provar que te detesto intensamente. Mas, se um dia eu te machucasse eu morreria por dentro. Só de pensar isso me dá um medo danado, um aperto no peito, uma disritmia, de te ferir a cabeça, ou, sei lá, por ordem do destino poderia também ferir o coração.

Eu queria ter bebido para dar a desculpa, que só te falei isso tudo por causa do álcool, e cê sabe que eu não bebo e também não minto. Então eu não posso dizer que parei de pensar na gente, em você cozinhando uma gororoba gostosa para mim, me massageando as costas ou me matando de sorrir.Eu só queria que os planos que o meu coração traça, naquele ponto final, tivéssemos na nossa casinha de campo construindo uma história além das entrelinhas deste texto. Segredos que vou te contar no ouvido, em alguma cama (na sua, ou na minha?), e torcer para você sorrir, gostar e topar. Segredos de liquidificador, meu amor.

Natália Rezende

Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.

Deixe uma resposta