Recordo-me da minha infância

Como se um filme eu pudesse ver

É triste pensar na felicidade

Que jamais eu ei de ter.

Trabalhar de madrugada

Na roça com meu pai eu ia

Lembro-me como se fosse ontem

Do seu sorriso quando chovia.

Não tínhamos muito dinheiro

Éramos pobre isso se via

Mas dinheiro nenhum pagava

A alegria que eu sentia.

Trabalhávamos o dia inteiro

O trabalho era pesado

E eu nunca ouvi meu pai

Dizer que estava cansado.

Minha mãe mulher forte

Muito sábia e guerreira

Trabalhava de sol a sol

Balançando a peneira.

Toda noite no quintal de casa

Uma viola meu pai tocava

E com certa pureza e elegância

Minha mãe era quem cantava.

Hoje aqui nessa cidade

Eu sofro sozinho e calado

Pois se dependesse só de mim

Meu sertão não teria deixado.