Eu já construir tão bela casa em um alto monte. E apesar dessa construção ser um sucesso, encher os olhos dos espectadores, e estar vivendo tão bela vida, mais até do que eu pedia, mas isso ainda não é o que eu sonhei. Sabe aquele ponto e vírgula engasgado na garganta? Que parece que te impede de respirar, mas ainda te mantém vivo? Pois é! Uma vida sem o exagero das vírgulas e sem pontos finais, me parece um enredo entranho demais para seguir.

Não consigo viver só por viver. Isso me mata. E justamente, quando me deparo com tal procedimento de vida, me reprimo. Existe uma virtude entre os homens e eu almejo tanto tê-la: A de crescer simultaneamente emocionalmente e racionalmente. Do que adianta ser inteligente e saber a classe e a ordem a qual pertence uma borboleta, e não saber apreciar o espetáculo de suas asas coloridas se debatendo a voar?

Ei! Eu quero um cérebro a todo o vapor sim. Mas é essencial um coração que mostre toda a sensibilidade que me foi concedida. Talvez, tudo isso seja só um mais um dos meus dizeres filosóficos. Para que os tais? Eu ando tão cansada deles. Assim como me canso todo dia dessa humanidade que não sabe para qual lugar está indo… matando uns aos outros de pouquinho em grandes quantidades.

E aqui eu apenas choro… Sem saber o porquê, mas que alivio à alma isso traz. Sinto uma imensa mortalidade na vivência! Simplesmente, um sepulcro caiado. Linda e perfeita por fora, mas o interior se contorce em reformas. Reformas da alma. Reformas no que eu estou sendo, para me tornar o que sou, ou o que planejo ser.

E existe toda uma necessidade de encontrar-me bem. E isso nem sempre é fácil. Entrego-me a crise existencial e deixo-me conduzir ao abismo de pensamentos em vãos. Entrego-me a filosofia e a razão, e deixo a felicidade ali, não sei ao certo aonde, à hibernar. Que a crise passe me dando um novo olhar sobre a vida. Um novo olhar sobre mim.

Natália Rezende

Written by

Natália Rezende

Um ser amor. Acredita em contos de fadas e em todos os mundos mágicos do universo das palavras. Das mais certas, mas também possuí incertezas. Um pouco louca. Escreve e sonha.