A perda é uma maneira muito cruel para começar a dar valor, e ainda para perceber o que temos de tão grandioso ao nosso redor.

Procuramos sempre nos encontrar. Adaptar-se a lugares que não convém que estejamos, e que não fazemos parte. E por certa teimosia, tentamos nos encaixar nestes lugares de qualquer forma. É com a perda aprendemos a valorizar as coisas mais simples da vida. E aí, conseguimos ver os lugares em que encontramos erros e tudo o passava despercebido por falta de compreensão. Obras da nossa desatenção.

Com o tempo as coisas vão se enquadrando e se encaixando, e somos capazes de perceber o quão notório é a razão pela qual Deus nos tirou aquele alguém tão preciso, de nossas zonas de conforto. Sobretudo, porque cada um de nós tem uma meta para cumprir. São sonhos e desejos para idealizar realizar, porém nem sempre é como queremos que seja.

Então, saiba que o em seu trono, Ele recebe cada um de seus filhos, com afeto e compaixão, e conforta o coração de quem partiu e de quem ficou, mesmo que seja doloroso. Para quem já se foi, o Pai Todo Poderoso mostra qual era o seu plano na terra, que a semente do bem, que era predestinado a semear, regar, colher os frutos que amadureceram e a hora da partida que chegou. Assim, da mesma maneira, Ele conforta o coração de quem se encontra inconsolável com a perda.

DEUS tem o poder de fazer com que as coisas sejam muito mais perfeitas do que imaginamos. Ele mostra-nos, o quanto somos capazes e fortes. E que a perda não vem para somente para atestar o nosso fracasso, mas sim para o crescimento tanto mental, quanto espiritual.

 

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articleQual o nosso problema com lista de transmissão?
Next articleSintomas de uma paixão
Amanda Mirelle
Tranquilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer… Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato… Ou toca, ou não toca. - Clarice Lispector.