Dia 12 de junho está chegando e, mesmo que alguns não gostem, nós precisamos falar sobre relacionamentos. Confesso que não sou a pessoa mais indicada do mundo pra falar sobre o assunto, mas permita-me te dar dois conselhos, que a primeira vista parecem insignificantes, mas que são fundamentais para manter qualquer relação saudável.

O primeiro é: não pegue o cara lindo, todo definido e de sorriso atraente ou a gostosona que vive dando em cima de você na faculdade. Aquele boy que quando passa por você pelos corredores, te dá uma suadeira do caralho. Aquela mina que nas aulas de laboratório usa um jaleco apertado, com os seios fartos saltando pra fora, que você tenta não olhar, mas mesmo assim as vezes olha e parece que suas mãos querem ganhar vida própria e aparar os seios dela para coloca-los lentamente de volta no jaleco (com boa intenção, é claro).

O segundo, e também não menos importante é: compre um bom sofá.

Vou compartilhar uma experiência boa sobre esse assunto, de quando eu era casado.

Eu comprei um sofá excelente, paguei um pouco caro nele, mas valeu a pena. Confesso que na hora de comprar o sofá, imaginei um milhão de coisas. Imaginei que eu e minha ex-mulher poderíamos ter uma briga daquelas e que, obviamente, ela me colocaria para dormir nele – o que em todo nosso tempo juntos, aconteceu uma única vez. Imaginei que esse sofá seria ideal para colocar umas tachinhas, no dia em que minha ex-sogra fosse nos visitar, daí eu a convidaria, com um olhar meigo e doce “não sogra, vai embora não, dorme aí no sofá!”. Imaginei-me em pé, vendo minha filhinha e os cachorros pulando nele, almofadas jogadas em todos os cantos da sala, sem ter aquela terrível sensação que ele pudesse estragar no meio da bagunça. Imaginei no período da chuva, ele não pegando mofo e nem ácaros, como aqueles sofás vagabundos que você compra e não pode pegar um pouco de umidade, que apodrecem da noite para o dia, antes mesmo de você pagar a ultima prestação.

Sabe, confesso que não foram todos esses motivos citados que me impulsionaram a compra-lo (tá bom, a ideia de colocar minha ex-sogra pra deitar nas tachinhas animou um pouco – brincadeira), mas o que realmente me fez comprar esse item em especifico foi o desejo revelado nos olhos da minha ex-mulher quando ela o viu. Quando ela viu aquele sofá, deu pra perceber em seu olhar que aquele era o móvel perfeito para a sala de estar, mas como o valor apertava nosso orçamento, ela deu uma disfarçada e pediu ao vendedor que mostrasse outros modelos, mais baratos.

Os dois conselhos apontam para duas bases fundamentais na construção de qualquer união: Fidelidade e Empatia.

O que quero te demonstrar com isso tudo é que você precisa aprender que não é preciso que o outro abra a boca e grite algo para demonstrar o que ele está sentindo. É necessário ter sintonia e sensibilidade, então a felicidade ou a dor de quem está ao seu lado se torna sua também, porque o sentimento do outro passa a ser uma extensão do seu próprio sentimento.

Eu sabia exatamente que era aquele móvel que ela queria simplesmente porque nós nos conhecemos, sabemos distinguir e interpretar as reações, e até hoje, depois de separados, sabemos bem quando um está triste, com raiva, feliz ou preocupado, só de olhar nos olhos um do outro.

Construir intimidade, saber os defeitos e qualidades intrínsecas, ter cumplicidade e enxergar a alma através dos olhos. Quando essas coisas se tornam reais na relação, você não pensa na possibilidade de ser infiel, porque você passa a diferenciar o que é passageiro daquilo que é eterno e entende que tem alguém te esperando em casa depois de um dia cansativo, com um sorriso lindo no rosto – e algumas vezes com TPM também, porque nada é perfeito – pra te abraçar, e independente da situação, te acolher. Alguém importante demais, que está muito além do prazer momentâneo de uma traição qualquer.

Porque no fim, não é a mina linda e nem o cara gostoso que vai segurar sua mão e te ajudar a passar pelos dias ruins, muito menos acreditar em você e viver os seus sonhos. Aparência não sustenta nada, não aquece em noites frias, nem fica no barco remando contigo, quando ele fura. O que segura uma relação é conhecer o outro o suficiente para saber através de um simples olhar o que faz ou não feliz.

SHARE
Previous articleTenho muitos amores
Next articleNamore alguém que…
Mateus Adriano
“Acredito nas palavras, como alguém que acredita em milagres. Elas me salvaram por mais de uma vez, e eu, com coração grato, irei anuncia-las com todo meu amor.”

2 COMMENTS

  1. Não é uma tarefa fácil, escrever sobre um assunto tão delicado, mas você o fez com maestria. Parabéns.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here