Por uma simples mensagem ela me disse adeus, nem perguntou como estava o dog, se eu estava melhor da gripe, ou se até mesmo eu já havia melhorado da queda de bicicleta da semana passada.

Eu sem acreditar naquela conversa perguntei que horas ela iria me ver, ela respondeu que “nunca”, nunca mais seria possível.

Percebi que a coisa era seria, lembrei do sapato novo, da camisa e do perfume que ela havia me dado, me deu um frio na barriga, pensei “vai que ela quer de volta?”

No outro dia bem cedo ela me liga dizendo sabe que dia foi ontem? Eu disse: – foi o dia que você me deixou. Ela disse: -ontem era primeiro de abril”, eu disse e que pena, já tô com outra.