Já sinto no frio os meus ossos estalar,

Que como um galho seco, estão a definhar,

A rigidez deles é um infortúnio sem medida

Sinais mais claros não há, que estou no fim da vida.

 

A velhice tem me incomodado um tanto,

Que me vejo mergulhado nos prantos,

Chorando em minha despedida,

Dessa curta e triste vida.

 

Estou partindo, sem deixar saudades,

Em todos aqueles que aqui irão ficar,

Retorno para o sertão, debaixo da terra irei repousar.

 

Como retirante do sertão, finalmente volto para casa,

Vou repousar eternamente,

Na minha cova isolada.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

SHARE
Previous articleA graça do cair e o gozo de se levantar
Next articleMinha busca
Eder Pereira
Por que você faz textos e poemas? Porque é onde encontro minha paz interior, é onde eu consigo viajar e conhecer universos que só posso conhecer na minha imaginação.