Eu sei que vai doer, mas às vezes é necessário fazer as coisas certas, conforme o tempo pede. Ver-te partir, nunca foi a minha vontade. Mas é preciso desapegar das coisas que não te deixam crescer.

Vai doer, eu sei. Mas, nada que o tempo não resolva e que possa substituir. Não existe esse alguém que não sabe a dor de perder uma pessoa amada, todos um dia sofrem por excesso de amor, ou pela falta dele, é chato, mas não é eterno. Serve até de aprendizado, sabe?

Você passa a ter mais cuidado com seus sentimentos, a não entregar o seu coração para qualquer um. Não que deva se tornar uma pessoa fria e amarga, longe disso, mas a decepção te fortalece e ensina a lidar com os altos e baixos da vida.

Eu estou aqui lutando contra o tempo e com a saudade, mas vivendo em busca de dias melhores. É bem clichê, mas e daí? O que somos nessa vida se não experimentamos a dor de um amor não correspondido?

Apesar da saudade, eu me conformo com a sua ausência.

Carol Dalariva

Written by

Carol Dalariva

Sou uma mulher madura
Que às vezes anda de balanço
Sou uma criança insegura
Que às vezes usa salto alto
Sou uma mulher que balança
Sou uma criança que atura

(Martha Medeiros)